Hapvida NotreDame Intermédica realiza 30% de partos normais na rede e é exemplo com programas de acolhimento a gestantes

partos
O programa Nascer Bem foi implantado em junho de 2016 e já atendeu mais de 35 mil gestações até o momento.

No Nascer Bem e no Programa Gestação Segura, as mulheres são acompanhadas por equipe multidisciplinar desde a primeira consulta até o puerpério

Com uma média de cinco mil partos ao mês, a Hapvida NotreDame Intermédica tem ultrapassado a meta estabelecida pela própria empresa de realizar 30% de partos normais na rede própria, que conta com 50 maternidades. Nas cidades onde o programa Nascer Bem está em operação, o indicador chega a 40%, bem acima da média da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), que é de 24,3% na rede privada no Brasil.

No Recife, o programa foi implantado em junho de 2016 e já atendeu mais de 35 mil gestações até o momento. Apenas no primeiro trimestre de 2024, foram realizados 415 partos, dos quais 41,6% ocorreram de forma natural, refletindo uma tendência significativa em direção a um parto mais seguro e menos intervencionista. Esses números ressaltam a eficácia e a importância do programa para a saúde materna na região, fornecendo assistência adequada e contribuindo para a redução de complicações durante o parto.

A diretora médica do programa Nascer Bem da Hapvida NDI, Daniela Leanza, lembra que sempre será priorizado e incentivado o parto adequado, que é a melhor opção tanto para a mãe quanto para o bebê. “Tudo vai depender das condições clínicas do binômio (mãe-bebê), mas sempre será avaliada qual a via de parto mais adequada para garantir o bem-estar dela e da criança, seja por meio da cesárea ou parto normal”, explicou.

O parto normal é recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) por apresentar vantagens em comparação à cesárea, que é uma cirurgia e, como tal, envolve riscos. “O parto normal traz uma série de benefícios, como menor risco de o bebê apresentar desconforto respiratório e precisar ficar na UTI neonatal. Para a mãe, há menor risco de ter hemorragia e complicações da cirurgia, além de facilitar a amamentação e proporcionar uma recuperação física mais rápida”, detalha Daniela.

Na maior empresa de saúde da América Latina, um importante indicador é também a taxa de internação em UTI neonatal. A meta é que menos de 7% dos recém-nascidos precisem de cuidados intensivos nos primeiros dias de vida. Esse indicador reflete a qualidade da assistência ao parto e da assistência pré-natal. “O acompanhamento pré-natal é fundamental para prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças que podem complicar a evolução da gravidez”, relata Christine Marques, diretora médica do Programa Gestação Segura da Hapvida NDI.

“Nossa luta é sempre pela conscientização da paciente sobre a importância do início precoce do pré-natal, além da adesão às consultas e aos exames e tratamentos propostos. O início tardio do pré-natal ou o acompanhamento irregular podem atrasar o diagnóstico e prejudicar o tratamento de algumas doenças, como o diabetes gestacional e a pré-eclâmpsia”, exemplifica Daniela.

Nascer Bem

Salvador, Fortaleza, Recife, Belém, Manaus e Goiânia são as cidades onde está em atividade o programa Nascer Bem, que acompanha toda a jornada da gestante da descoberta da gravidez até o fim do puerpério. São 1.800 partos realizados mensalmente. Todas as gestantes que residem na região metropolitana das seis capitais podem participar do programa.

O grande diferencial é que as gestantes são acompanhadas durante todo pré-natal por médicos e enfermeiras obstetras, responsáveis pelo acolhimento integral, o que inclui orientações sobre parto e amamentação. Além disso, elas contam com uma central de agendamento e de monitoramento exclusivas para garantir o acesso às consultas de pré-natal durante toda a sua jornada.

“As maternidades do programa têm estrutura diferenciada, com métodos não farmacológicos para alívio da dor, como aromaterapia, cromoterapia, arteterapia e musicoterapia. Oferecemos também a opção da anestesia, se for o desejo da gestante”, conta Daniela.

Durante o pré-natal, as gestantes podem elaborar o plano de parto, discutindo pontos importantes como o acompanhante de sua preferência, o uso de ocitocina e a realização de episiotomia, por exemplo. Todas as possibilidades são levadas em consideração. “As preferências dela serão respeitadas ao máximo possível”, garante Christine Marques.

Programa Gestação Segura

O programa Gestação Segura está presente na Grande São Paulo, no Rio de Janeiro, em Curitiba e em Belo Horizonte. As gestantes acompanhadas pelo programa também contam como uma equipe multidisciplinar e com um call center exclusivo que as acompanham no pré-natal de alto risco.

“Nosso call center é mais técnico, com uma equipe multiprofissional, com nutricionista, psicólogo, fisioterapeutas e enfermeira obstetra para que a gestante possa tirar dúvidas, como alterações em exames”, destaca a diretora médica do programa.

O objetivo dos dois programas da Hapvida NDI é trazer informações de qualidade para as gestantes e, assim, permitir que elas possam tomar decisões assertivas. Além das consultas de pré-natal e da central de monitoramento, elas contam também com cursos online e presenciais, que abordam desde o cuidado com o bebê até os riscos envolvidos no parto.

As gestantes têm acesso ainda a programas de acolhimento, como a pintura da barriga e a aquarela com a placenta no pós-parto. “É um carinho da equipe com a paciente de fazer esse registro para guardar de recordação. O símbolo que fica da placenta com as veias e o cordão umbilical lembra o desenho da árvore da vida”, afirma.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*