Projeto de startup para monitoramento de feridas é selecionado pelo Edital Grand Challenges Inteligência Artificial

O projeto da Aicury usa chatboot para monitorar feridas de pacientes do SUS. FOTO: RDNE Stock Project/Pexels

 

 

Da Redação

A startup Aicury – Intelligent Wound Care Services, incubada no Polo Tecnológico e Criativo (Polo Tec) da UFPE, teve seu projeto selecionado no Edital Grand Challenges Inteligência Artificial, da Fundação Bill & Melinda Gates, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Ministério da Saúde e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O projeto é voltado ao monitoramento de feridas cirúrgicas, visando aprimorar o cuidado e a recuperação de pacientes no Sistema Único de Saúde (SUS). Ao todo, 235 projetos nacionais participaram da seleção, dos quais nove foram aprovados dentro do limite orçamentário.

O projeto intitula-se “Implantação de Chatbot baseado em LLM para Vigilância Pós-Alta Hospitalar de Pacientes com Feridas Cirúrgicas no SUS: Aplicação Piloto no Hospital das Clínicas de Pernambuco (HC-UFPE)”. A coordenadora é Shirley da Silva Jacinto de Oliveira Cruz, que também é chefe do Setor de Saúde Digital do HC. Trata-se de um projeto pioneiro de implantação de um sistema inteligente para o monitoramento de pacientes em pós-alta hospitalar com feridas cirúrgicas, em colaboração estreita com o Hospital das Clínicas da UFPE.

O resultado final da seleção, divulgado recentemente, e os demais documentos referentes ao Edital Grand Challenges Inteligência Artificial podem ser consultados no portal da Fiocruz. 

STARTUP

A Aicury volta-se à inovação na saúde digital, oferecendo soluções que prometem transformar o cuidado ao paciente e elevar o padrão de monitoramento de feridas no SUS. A CEO da startup, Geicianfran da Silva Lima Roque, é doutoranda no Centro de Informática/CIn-UFPE,  assim como o CPO da Aicury, José William Araújo Nascimento.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*