Brasil tem mais de um milhão de casos de dengue em investigação em 2024

O combate ao mosquito transmissor da dengue é a melhor forma de evitar a aceleração da doença no país Foto: Flávio Carvalho/WMP Brasil/Fiocruz

 

 

 

 

Da Agência Brasil

O Brasil registrou 1.017.278 casos prováveis de dengue e 214 mortes confirmadas pela doença desde o início deste ano. Outros 687 óbitos estão em investigação.

O coeficiente de incidência da dengue no país, hoje,  é de 501 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. Os dados são do Painel de Monitoramento das Arboviroses, divulgados nesta quinta-feira (29), em Brasília, pelo do Ministério da Saúde.

Entre os casos prováveis, 55,4% são de mulheres e 44,6% de homens. A faixa etária dos 30 aos 39 anos segue respondendo pelo maior número de ocorrências de dengue no país, seguida pelo grupo de 40 a 49 anos e de 50 a 59 anos.

Entre os estados,  Minas Gerais lidera em número absoluto de casos prováveis (352.036). Quando se considera o coeficiente de incidência, o Distrito Federal aparece em primeiro lugar: 3.612,7 casos por 100 mil habitantes.

Os estados do Acre, Goiás, Minas Gerais, Espírito Santo, Santa Catarina e Rio de Janeiro – e o Distrito Federal), além de 154 municípios, já decretaram situação de emergência por causa da doença

Dia D será sábado

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, acredita que o Brasil poderá ter neste ano o dobro de casos de dengue registrados em 2023, que chegou a 1.658.816 casos.

No próximo sábado (2), o Ministério da Saúde – em parceria com estados e municípios – vai realizar o Dia D de combate à doença. Com o tema Brasil Unido Contra a Dengue, serão promovidas ações de orientação sobre os cuidados que a população deve tomar para evitar a disseminação da doença.

Os principais sintomas relacionados à dengue são febre alta de início repentino, dor atrás dos olhos, mal estar, prostração e dores no corpo. O vírus da dengue pode ser transmitido ao homem principalmente pela picada de fêmeas de Aedes aegypti infectadas.

.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*