Estado americano do Tennessee facilita processo de validação do diploma de médicos brasileiros

Nos EUA, médicos brasileiros podem ganhar até dez vezes mais do que no Brasil. FOTO: pexels-Karolina-Grabowska

 

Da Redação

Com uma carência de mais de 16 mil médicos e enfermeiros, os Estados Unidos sofrem com a falta de profissionais na área da saúde. Para aumentar a oferta destes profissionais, o estado do Tennessee acaba de derrubar algumas barreiras para que estrangeiros possam atuar.

Após a aprovação da lei HB 131, o estado é o primeiro dos EUA a permitir que graduados em medicina em países onde a formação é reconhecida por seu alto grau de qualidade, como o Brasil, possam trabalhar sem passar por um novo programa de residência de 4 a 7 anos nos Estados Unidos.

Segundo dados da Mooving Global, empresa especializada em assessoria imigratória, diante da perspectiva de ganhar até dez vezes mais que no Brasil, o mercado de trabalho norte-americano está cada vez mais atrativo para médicos brasileiros. Eles ainda recebem um green card extensivo para a família,

“É uma excelente oportunidade para médicos brasileiros atuarem nos Estados Unidos. O anúncio do Tennessee é um marco revolucionário. Nossos especialistas são extremamente qualificados e enfrentam processos seletivos concorridíssimos no Brasil para 6 anos de graduação mais 2 anos de residência médica, no mínimo”, afirma a diretora executiva da Mooving Global, Isabella de Cillo Medeiros.

Flexibilização dispensa empregador americano

A lei aprovada no Tennessee concede licenças provisórias aos médicos estrangeiros e, após dois anos de supervisão por um profissional já habilitado no país, eles receberão permissões definitivas. “É algo muito positivo e uma possibilidade inédita para médicos estrangeiros viverem o sonho americano e fazerem a diferença para o país”, completa a diretora. Antes as exigências para estrangeiros atuarem na saúde incluíam uma residência médica de quatro anos, além de outros requisitos.

Para médicos brasileiros interessados em atuar nos Estados Unidos, o visto EB-2 NIW – especialidade da Mooving Global – é um dos mais atrativos, pois dispensa a exigência de um empregador americano. A solicitação começa com a apresentação de documentos que comprovem a trajetória acadêmica e profissional, capacitação técnica e demonstração das possíveis contribuições do requerente para questões consideradas de interesse nacional dos Estados Unidos.

O processo pode levar de 45 dias a mais de 24 meses para ser aprovado, mas os recentes casos da Mooving Global têm sido deferidos, em média, em 3,5 meses.

A Mooving Global, com sede no Texas, nos Estados Unidos, tem equipe de especialistas em direito imigratório e áreas técnicas, como medicina e engenharia, em diversos continentes. Atua desde 2019 em assessoria imigratória, com foco no visto EB-2 NIW. A empresa tem 100% de aprovação em seus processos e já contribuiu para que dezenas de profissionais, de diversas nacionalidades, conquistassem o green card.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*